Laelia purpurata

DSC05341Nome científico: Laelia purpurata
Nomes populares: Lélia
Família: Orchidaceae
Clima: Subtropical. Nas regiões onde naturalmente se desenvolve, há variações climáticas drásticas, sem uma estação de seca definida, bastante umidade.
Origem: Sul do Brasil, nas regiões litorâneas desde o Rio Grande do Sul até o Rio de janeiro. Não aparece no Paraná. Possivelmente não ocorra nos estados mais ao norte pela ausência de frio.
Altura da planta: Possui de 20 a 40 cm de altura
Luminosidade: Sombreamento de 40 a 70%. Não apreciam a luz direta do Sol.
Ciclo de Vida: Perene
Descrição: Epífita de fascinante beleza (às vezes rupícola), crescimento simpodial, folhas compridas, um pouco côncavas, coriáceas, de cor verde escuras e pseudobulbos bem desenvolvidos e alongados. As folhas possuem de 20 a 40 cm de comprimento com largura variando de 4 a 9 cm. As flores são grandes, com hastes florais de até 20 cm de comprimento que apresentam um conjunto de até 5 flores. Estas são de pétalas e sépalas brancas com labelo purpúreo, diâmetro médio de 15 cm, geralmente perfumadas e de duração por volta de 20-30 dias. A época de florescimento é do final da primavera até o início do verão. Há um grande número de variedades e tonalidades, muitos cruzamentos e hibridações com outros gêneros.
Local de cultivo: Potes de plástico, cerâmica ou cestas, bem como em troncos ou diretamente fixadas em árvores. Os vasos não devem ser muito grandes e é importante haver boa distância entre os vasos para que o ar circule bem. Em qualquer situação é vital ter boa drenagem.
Substrato: Cascas de pinus, carvão e brita são uma possibilidade. Pessoalmente só uso a brita, conforme exposto em postagem sobre o tema. Boa drenagem, no entanto, é requisito obrigatório.
Água: Regas regulares, mais intensas no verão. Quando surgem períodos de escassez de chuvas, pode-se molhar o chão (de preferência britado e com passeios de cimento) para aumentar a umidade do ambiente.
Temperatura: Tolera temperaturas entre 0ºC a 35º C, com média anual de 20-22ºC. No período de pré-floração gosta de noites relativamente frias (10-12º C).
Adubação: Quinzenalmente com NPK e a cada 3 meses com organo-mineral. Ver postagem Adubação em orquídeas.
Propagação: Por divisão, mantendo 4-5 pseudobulbos por planta. Fazer a operação sempre após a floração.
Pragas, doenças e outros problemas: Cochonilha, pulgões, tentecoris, além de bactérias e doenças fúngicas que causam antracnose e podridões. Estes temas serão desenvolvidos separadamente. Já postado:Doenças fúngicas em orquídeas Caracóis em orquídeas.
Sistemas de classificação: Basicamente os diferentes tipos estão divididos em função do colorido da flor e da forma deste colorido. Na primeira situação temos as seguintes variedades:
a) Tipo: Pétalas e sépalas brancas ou rosadas, labelo purpúreo. Fauce com estrias.
DSC05195
b) Ardósia: Sépalas e pétalas brancas ou cinza-chumbo. Labelo cinza com ou sem veias pronunciadas. Fauce branca ou amarelada. Muitas estrias também nas pétalas.
Laelia purpurata ardósia c) Cárnea: Sépalas e pétalas brancas ou suavemente coloridas. Labelo róseo com veias mais ou menos acentuadas. A fauce é branca ou amarela.
Laelia purpurata cárnea
d) Canhanduba: Sépalas e pétalas brancas. Labelo amarelo, fauce amarelo forte.
e) Roxo-violeta: Sépalas e pétalas brancas. Labelo roxo com ou sem veias pronunciadas. Fauce branca ou amarelada.
f) Roxo bispo: Sépalas e pétalas brancas. Labelo roxo (como o da vestimenta dos bispos católicos).
g) Semi-alba: Pétalas e sépalas brancas, com lobo frontal do labelo purpúreo escuro. Muito parecidas com a “tipo”.
Laelia purpurata semi-alba
h) Suave: Pétalas e sépalas brancas, labelo rosa muito suave, sem estrias.
i) Russeliana: Pétalas e sépalas brancas ou levemente rosadas, labelo róseo-lilás.
Laelia purpurata russeliana
j) Vinicolor: Pétalas e sépalas brancas ou levemente rosadas, labelo com cor de vinho tinto.
k) Alba: Pétalas e sépalas completamente brancas, fauce amarelo forte.
Laelia purpurata alba
l) Concolor: Pétalas e sépalas de qualquer cor, homogênea, com labelo de cor levemente mais acentuado.
m) Rubra: Pétalas e sépalas fortemente coloridas, labelo vermelho. Facilmente confundida com a variedade sanguínea.
Laelia purpurata rubra
n) Sanguínea: Flores de colorido vermelho-sangue.

Quanto a forma do colorido temos as variedades abaixo:
a)
Anelata: Há um anel na entrada da fauce, unindo os lobos laterais.
Laelia purpurata anelata b)
Argolão: Possui um anel mais grosso que a anterior.
Laelia purpurata argolão c)
Áurea: Ocorre interrupção das estrias na entrada da fauce, possuindo anel amarelo intenso na fauce.
d) Mandayana: Sem estrias na fauce, cor rosa suave. A cor do labelo é um pouco mais forte.
e)
Marginata: Sépalas e pétalas brancas, labelo com colorido definido e com margem branca bem distinta.
f)
Multiforme: Labelo com desenhos variados no lobo frontal, podendo ser de qualquer cor. Não pode ser enquadrada em nenhuma outra variedade.
g)
Oculata: Possui duas manchas vermelho-purpúreas, opostas e simétricas nos lobos laterais, dando a aparência de olhos. As flores são brancas.
h)
Reginae : Labelo apresenta em seu contorno uma orla branca.
i) Schroederae
: Labelo branco apenas com estrias.
j)
Atro: Labelo com colorido intenso.
k)
Flâmea: As pétalas tem colorido vermelho purpúreo intenso, acentuando-se em direção a suas pontas.
Laelia purpurata flãmea i)
Striata: As pétalas possuem estrias longitudinais vermelhas, com fundo claro.
Laelia purpurata striata m)
Venosa: Pétalas e sépalas rosadas com veios avermelhados.
Laelia purpurata venosa Outras considerações:
– Floresce na primavera, em novembro e dezembro. Dificilmente ocorre em outros meses.
– A variedade C
anhanduba é exclusiva de Santa Catarina.
Referências:
Laelia purpurata – Lou Menezes
– Revista Como cultivar orquídeas nº 53
– Growing Laelia orchids – Jon Vanzile
– Laelia purpurata – Orquídeas Bueno
– Laelia purpurata – Classificação das Variedades – Carlos Gomes

Anúncios