Abertura

DSC04028

DSC04032

Abertura

Meu corpo-alma
é como uma casa-útero
Todas as portas e janelas
estão fechadas
Caminho na escuridão,
os pensamentos-projetos de luz
desvanecem-se porque são apenas
sonhos sem força
Não posso continuar envolvido
nesta rede sem fim,
de sentimentos,
de emoções,
de ideias,
que se ligam numa continuidade
que não leva a lugar algum

Vejo
que pelas frestas
das janelas
penetram tênues
fachos de luz
Sinto que estou cercado
de vida e luz
Meu trabalho primeiro
precisa ser este,
um esforço contínuo
para escancarar
todas as aberturas,
deixando que as trevas
dissipem-se para sempre
É isto que chamo de êxito
Tudo o resto é secundário

Enquanto não conseguir
esta clara-visão,
nem que seja
no momento
de deixar este mundo,
minha vida parecerá
ter sido em vão

DSC04030

Quadro de fundo: pintura à óleo sobre tela do artista Christian Salvi Wunderlich

Anúncios

Lírio da paz

líriodapaz

Nome científico: Spathiphyllum wallisii
Nomes populares: Lírio da paz, Bandeira-branca, Espatifilo, Velas brancas
Família: Araceae
Clima: Equatorial, subtropical e tropical. Prefere ambientes quentes e úmidos, não gosta de frio.
Origem: Norte da América do Sul, especialmente Colômbia e Venezuela
Altura: 30-40 cm
Luminosidade: Cresce bem em ambientes sombreados, não aceitando luz direta do sol, o que ocasiona amarelamento das folhas.
Ciclo de Vida: Perene
Descrição: Planta herbácea de folhas coriáceas de cor verde escuro, ovais e pecíolo longo. As flores são brancas e sem aroma, constituída de uma espiga envolvida por uma bráctea chamada espata, que é uma folha modificada. Com o tempo costumam ficar verdes. O florescimento é constante, mais acentuado na primavera e varão.
Local de cultivo: Pode ser plantada tanto em canteiros como em vasos. Nos pátios e jardins é muito decorativo plantá-las em conjuntos ou como bordadura, mas sempre à sombra de árvores ou de muros.
Substrato: A terra precisa ser de textura porosa, orgânica, de fácil drenagem. Prefere pH por volta de 6. Misturas de turfa, areia e terra vegetal são as ideais.
Água: O solo precisa estar sempre úmido, sem ser encharcado. No período de crescimento as regas devem ser generosas. Tanto nos vasos como em canteiros é bom não molhar as flores para que não se deteriorem.
Temperatura: 15 – 30 º C
Adubação: Compostos orgânicos e húmus de minhoca. Usando NPK , a fórmula 10-10-10 pode ser aplicada 2 vezes ao ano, 1-2 colheres por vaso, dependendo do tamanho.
Propagação: Divisão de touceiras. Na base da planta mãe formam-se muitas mudas que facilmente são destacadas.
Pragas, doenças e outros problemas: Geralmente resistente a pragas e doenças. Mas podem ocorrer ataques de ácaros, cochonilhas, pulgões, moscas brancas além de lesmas. Folhas amareladas podem indicar a presença do fungo do gênero Cylindrocladium. Outros fungos também podem atacar as raízes causando apodrecimento (geralmente por excesso de irrigação). As folhas doentes devem ser eliminadas.
Outras considerações:
– O lírio da paz possui uma substância tóxica (oxalato de cálcio e toxalbumina) causadora de alergia.
– Por outro lado, ajuda a purificar o ambiente pois funciona como um filtro absorvendo substâncias nocivas
– Por razões estéticas faça poda de folhas secas e flores velhas
– Aquelas plantas cultivadas em interiores, que não apanham chuva, devem ter suas folhas limpas com pano úmido
– Por ser uma planta adaptada à água, pode ser cultivada em aquários
– Muito apropriada para utilização em fontes de água.

DSC04033

Momento perfeito

DSC04035

DSC04034

DSC04037

Momento perfeito

O sol maravilhoso
faz as folhas das palmeiras
reluzirem ao longe
As borboletas dançam tão leves,
coloridas, luminosas
As vacas ruminam
num sonho distante, mas presente
Montanhas, pedras, pássaros e cães
parecem celebrar a vida,
tranquilos

A contemplação supera os conceitos,
o silêncio será muitas vezes
melhor que as palavras.
Entre escrever o desabafo
de seculares conteúdos,
já corroídos,
prefiro um poema
que cante o prazer
das coisas simples

Os desencontros
e desencantos sem fim,
paixões que não se explicam,
sonhos que não se cruzam,
rotas que se bifurcam
em direções distintas
Tudo é tão etéreo!
Como fazer para que todos os elementos
se mesclem em perfeito momento,
numa harmonia que nos deixe plenos
e nos devolva a alegria
dos pequenos, dos filhotes
daqueles que apenas são

Acho que não podemos fazê-lo,
nem criar, nem projetar
Talvez apenas soltar,
num lapso expandido
entre um pensamento e outro,
sem as cargas passadas,
sem as projeções do amanhã
Quem sabe, este espaço sutil
seja a morada
do amor

DSC04036

Quadro de fundo: pintura em acrílico com textura e colagem da artista Kátia SalvI