Nutrição em orquídeas

 

orquidea-laelia-4

Laelia purpurata

O que é nutrição?

Nutrição é o mecanismo de obtenção de nutrientes, tanto em animais como em vegetais, para os processos de manutenção da vida. Os animais, neste sentido, são heterotróficos, ou seja, não conseguem produzir seu próprio alimento. Já as plantas são autotróficas, seres que produzem os alimentos que precisam, através do gás carbônico, da luz, da água e dos minerais do substrato.

Quase a totalidade de uma planta é constituída de Oxigênio (O), Carbono ( C ) e Hidrogênio (H). Apenas 5% são nutrientes minerais, os quais são chamados de macronutrientes (aqueles utilizados em quantidades maiores) e micronutrientes ( utilizados em quantidades menores). Como C,H e O são obtidos da água e do ar, apenas os demais elementos, em situações de escassez, irão gerar limites para o bom desenvolvimento da planta, tornando-a suscetível às doenças e pragas.

As orquídeas desenvolveram mecanismos altamente eficientes de absorção de nutrientes como a utilização do velame (tecido esponjoso da raiz) que retém a umidade e seus elementos. Por isto a drenagem é tão importante pois as orquídeas precisam ficar secas entre uma irrigação e outra. Caso isto não ocorra os nutrientes não são concentrados e passados para o interior da planta. Também desenvolveram folhas e pseudobulbos capazes de armazenar nutrientes além de associações com fungos que decompõem a matéria orgânica disponibilizando os nutrientes para as plantas.

Portanto, no cultivo de orquídeas devemos imitar tanto quanto possível as condições de seu habitat natural. Na natureza, as orquídeas recebem um constante fornecimento de nutrientes, de forma lenta e suave, através da água que escorre pelas raízes levando consigo uma “sopa” de elementos oriundos de dejetos de pássaros e animais, materiais depositados pelo vento e substâncias decompostas sob a copa das árvores que as abrigam. As orquídeas terrestres também obtém minerais do solo. Por esta razão, é muito importante adubar regularmente as orquídeas com fertilizantes de alta qualidade e balanceados.

O que são nutrientes?

Nutrientes são os elementos absorvidos pelas raízes das plantas para sua nutrição e metabolismo. Como em nossos orquidários geralmente usamos substratos inertes ou que liberam poucos nutrientes, precisamos aplicar fertilizantes (orgânicos ou químicos) para suprir as necessidades da planta. Os principais são os seguintes:
Macronutrientes – Nitrogênio (N), Fósforo (P), Potássio (K), Cálcio (C), Magnésio (Mg) e Enxofre (S)
Micronutrientes – Boro (B), Cloro (Cl), Cobre (Cu), Ferro (Fe), Manganês (Mn), Sódio (Na), Zinco (Zn), Molibdênio (Mo), Níquel (Ni), Silício (Si), Cobalto (Co)

Funções dos nutrientes na planta

Nitrogênio: É o principal componente de proteínas, hormônios, clorofila, vitaminas, enzimas, ácidos nucléicos e alcalóides. O metabolismo do N é o principal fator no crescimento vegetativo e vital na estrutura da parede celular.
Fósforo: Essencial para a fotossíntese, formação de proteínas, participante fundamental na molécula de ATP, rico em energia, atuante em quase todos os aspectos de crescimento, metabolismo e armazenamento de energia na planta. É vital para o florescimento.
Potássio: Participa da síntese de proteínas e carboidratos, na formação de açúcares e amidos, ativador de enzimas e necessário na divisão celular. Uma das principais funções é o controle de absorção e perda de água (promove a firmeza da planta) através da abertura dos estômatos. Também acentua as cores das flores.
Cálcio: É parte da estrutura das paredes celulares, desempenha importante papel no funcionamento e ativação das enzimas, ajuda no controle da água no interior das células e atua no crescimento e divisão celular.
Magnésio: É importante componente da molécula de clorofila, sendo necessário para o funcionamento de enzimas e na produção de carboidratos, açúcares e gorduras.
Enxofre: Componente da estrutura dos aminoácidos, proteínas, vitaminas e enzimas. É essencial para a produção de clorofila.
Ferro: É necessário para o funcionamento das enzimas, síntese de clorofila e para o crescimento de tecidos jovens. Atua nas reações de ganho (pela fotossíntese) e perda (respiração) de energia, constituinte das cadeias de transporte de elétrons.
Manganês: Envolvido na atividade enzimática para a fotossíntese, respiração e metabolismo do nitrogênio, além da regulação da concentração de auxina (hormônio de crescimento).
Boro: Atua na divisão e crescimento celular, formação da parede celular, na absorção do Cálcio, fazendo parte do processo de transferência de açúcares entre as partes da planta.
Em muitas funções está presente como o florescimento, a germinação do pólen, o desenvolvimento das sementes, a divisão celular, o equilíbrio hídrico e o movimento de hormônios.
Zinco: É um componente das enzimas, atua no funcionamento das auxinas (hormônios de crescimento), além de essencial no metabolismo dos carboidratos e síntese proteica.
Cobre: Atua no metabolismo do Nitrogênio, componente de várias enzimas, além de estar presente nas cadeias de transporte de elétrons. Está concentrado principalmente nas raízes.
Molibdênio: É componente estrutural da enzima que reduz o nitrato absorvido em amônia. Sem isto, a síntese de proteína é bloqueada comprometendo o crescimento da planta, as sementes não se formam completamente e também ocorre deficiência de Nitrogênio.
Cloro: Está envolvido no processo da osmose, o equilíbrio iônico necessário para as plantas assimilarem os elementos minerais. No processo de fotossíntese participa da divisão molecular da água.
Níquel: É importante para a absorção do ferro e é essencial na urease, que permite a utilização da uréia como fonte de N.
Sódio: envolvido nos processos osmóticos e balanço iônico da planta.
Cobalto: É necessário para a fixação do Nitrogênio.
Silício: É componente das paredes celulares. Plantas com bom suprimento de silício formam paredes celulares fortes, tolerantes à seca e com sistema radicular abundante. Existem estudos que sugerem que o silício também aumente a resistência contra fungos.

Referências: 

– Nutrição Mineral: Conceitos básicos e avanços em nutrição e fertilização – Donizetti Rodrigues
– University of Waterloo Canada – Jerry Bolce – The Orchid House
– Complete guide to orchids – Miracle-grow – Ned Nash and Steve Frowine
– Cultivo de orquídeas – Dr Georgini Venturieri – UFSC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s